Bratislava e Budapeste

Não, não morri não viu. Só tive um período bem ocupado e sonolento. Sonolento ainda estou, mas vamos lá.

Viajei! Fiz minha primeira viagem internacional a lazer na Europa! Devo dizer que gostei demais, e só fico mais incentivado a viajar de novo e de novo por aqui. Dessa vez a viagem foi relativamente perto, mas ainda muito interessante.

Primeiro, vou explicar: tirei uns dias de folga no trabalho pra poder aproveitar melhor. Usei o CouchSurfing (www.couchsurfing.com) e contatos da AIESEC pra poder achar lugares para pernoitar. Fomos para Bratislava – capital da Eslováquia – e Budapeste – capital da Hungria. Sim, ‘fomos’, eu e a Aline, trainee em Plzen. Simplesmente ótima companhia, pessoa interessantíssima, nos demos super bem e viajar com ela tornou tudo mais agradável. Sou um cara de sorte.

Bratislava é uma cidade pequena, em torno de 500 mil habitantes. O centro histórico é bem reduzido, então andamos vimos tudo num dia. Tinha ouvido falar que Bratislava não tinha nada pra ver, e isso é só meia verdade; a cidade é interessantezinha sim, só não é tão rica culturamente quanto outras cidades por aqui. Engraçado foi que encontramos 10 casais se casando (sim, nós contamos), tinha casamento em todas as igrejas do centro histórico. Tinha nego casando com vários convidados mas também tinha casal sozinho com os padrinhos na igreja, parecia até casamento escondido hehehe. No outro dia fomos pra Devin, que foi um forte para o império da Áustria-Hungria e depois, para os comunistas. Fica na junção do rio Danúbio com o rio Morava, muito massa o encontro dos dois. Em Bratislava ficamos na casa da Tina, uma moça super hiper gente boa que eu achei no CS. Ela ajudou a gente com tudo, não podia ter sido melhor anfitriã. O Szabi, húngaro também do CS, estava surfando no sofá dela, então ficamos os três lá. Gente fina o cara também, demos muita sorte. Provei da cerveja eslovaca, bem leve e saborosa, mas mais cara que a cerveja tcheca. Após a visita ao castelo da cidade e a um monumento para os soldados mortos na II Guerra Mundial (tivemos que subir lá na pqp mas tudo bem), fomos pra estação de trem rumo a Budapeste. No começo da viagem não tinha lugar livre, mas eu dormi em cima de uma mala alheia e ficou tudo certo hehehe. Infelizmente não tirei foto da menina que estava na nossa cabine, tinha uma cara de doida que meu!

Budapeste foi outro esquema. Cidade grande, trânsito, barulho, um monte de gente. Sacamos uma nota de 10 mil florins, impressionante (mas vale só 100 reais). Fomos pra casa do Eduardo, da AIESEC Ribeirão Preto fazendo intercâmbio na Nokia, ele foi nosso host. Rep bagunçada como toda rep, a única coisa estranha foi ter que passar pelo banheiro pra ir pro quarto do cara. Segunda acordamos cedo e batemos o recorde mundial de andança, saindo às 8h e voltando às 23h (estranhamente eu tinha previsto isso logo que saímos). Muito legal a cidade, arquitetura peculiar do período que o país era muito rico, no século XIX, antes de tomar uma chacoalhada na I Guerra Mundial. Em Budapeste foi inaugurada a primeira linha de metrô da parte continental da Europa, em 1896 (hoje a linha amarela é um metrô de dois vagões bem barulhentos). Fomos no castelo, catedral, spa e em quase todos os pontos do mapa. De noite tiramos umas fotos do Parlamento (réplica do parlamento inglês) e da Praça dos Heróis, monumento para os heróis húngaros. By the way, húngaro é uma língua muito estranha, com conexões com finlandês (sim!, apesar de estar tão longe). No outro dia visitamos o que faltava – incluindo um forte no topo de um monte – e saímos correndo para achar o ônibus pra voltar (pô, o ônibus não saia da rodoviária, daí foi pressão achar).

Curti muito, não sabia que viajar podia ser tão massa. Recomendo!

Resto da semana foi fazer umas tarefinhas bobas no trabalho – super cansado, nem tinha como ser produtivo. Fim de semana que passou, viagenzinha no interior do país, Kutná Hora, cidade que foi importante por ser uma mina de prata. Nada super, mas ainda assim interessante. O clima não ajudou muito, e agora a tendência é ir esfriando já. Também assisti o filme do Batman com legenda tcheca num cinema muito bom.

Nessa semana o Guillaume do Canadá, couchsurfer, ficou aqui em casa. Gente fina, valeu a pena. Amanhã vou confiar na improvável previsão do tempo (choveu ontem e hoje, mas tá escrito que vai ter sol amanhã) e ir pra Plzen bancar o turista.

Fotos soon! (cara, que vergonha não postar as fotos no álbum…)

É isso, até mais!

Uma resposta to “Bratislava e Budapeste”

  1. Taynar Says:

    Olá!

    Tava pesquisando mais sobre a Bratislava [pretendo dar uma estiquada por lá em agosto] e acabei vindo parar aqui!
    Se der pretendo fazer Budapeste também, seria um sonho!

    Beijos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: