… and we’re back!

Oi

É, é, eu sei, não escrevo aqui faz um tempão, pode reclamar. Mas é que as coisas ficaram apertadas de verdade nas últimas 3 semanas. Estava meio sem tempo de respirar até.

Fiquei em Seewalchen am Attersee, Áustria, num projeto maluco. Ok, o projeto em si não é maluco, é uma boa idéia muito muito mal desenvolvida. Software leva tempo, tem gente que ainda não aprendeu isso. Simplesmente não dá pra pular umas etapas e continuar garantindo qualidade (talvez dê se é um projeto pequeno, mas aí é outra história). Qualquer gerente deveria saber disso, mas eu conheço 3, na mesma empresa, que sequer sonham com essa possibilidade. Isso se traduziu em jornadas de 10 horas de segunda a sábado, com direito a 5 horas no domingo, só pra não perder o costume, pra alcançar um prazo impossível. Quer falar com o gerente? Se tiver sorte, por telefone ou MSN, ele está ocupado vendendo um produto que não tem. Depois de me darem um computador com vírus, ter que aguentar gerentes sarcásticos, eu só estava rezando pra voltar. Meu chefe me trouxe de volta pra Praga ontem, 08/06, pra um descanso. Volto pra Seewalchen no próximo fim de semana pra mais duas semanas de ‘tortura’ (o único cara que manja tudo de tudo da empresa vai tirar uns dois meses de férias… e eu vou ser a única pessoa técnica lá). Isso se não cancelarem o contrato antes.

Claro que não me arrependo de ter ido pra lá: valeu por conhecer um novo país (mais rico!), ter experiências diferentes das que terei aqui em Praga, economizar dinheiro (eu não paguei nada heheh), fazer um turismozinho e aperfeiçoar a arte dos ‘se vira nos 30’. Mas eu poderia pular a parte de fazer longos turnos de segunda a sábado sob pressão de gerentes estressados e estar numa cidade em que os 5 mil habitantes mal falam inglês.

A coisa boa: fui pra Viena num fim de semana (antes de começar a maratona). Cheguei de trem no sábado, 24/05, de manhã e voltei domingo a noite. Muito massa a viagem (finalmente fotos no PicasaWeb), valeu muito a pena. Andei muito, voltei detonado, mas mesmo assim valeu a pena. Tentei comentar as fotos pra não ter que escrever muito aqui. A cidade tem outro nível, você sente que está no primeiro mundo. E, como viajei de trem, deu pra ver que o interior do país é muito bonito também (pelo menos na primavera heheh). Ah, acho que os vienenses ficaram construindo estátuas durante o último milênio, e daí construíam igrejas pra colocar as estátuas dentro. Tem muito disso na cidade, até cansei uma hora. Um detalhe: Viena foi a primeira cidade da Europa onde eu fiquei só de camiseta. Fez um sol bom, apesar de ter chovido algumas vezes.

A idéia é ter um fim de semana livre e ir pra Salzburg, cidade do Mozart (vou tentar fazer o CouchSurfing funcionar, quando fui pra Viena não deu certo). Ou ir pra Munique, Alemanha, é duas horas de Seewalchen. Talvez não dê pra ir pra Salzburg porque vai ter uns jogos da EuroCopa lá e o país inteiro está meio maluco por isso. A Áustria perdeu pra Croácia, 1 a 0, dei muita risada (só estão nesta edição por serem país-sede junto com a Suíça). República Tcheca 1 a 0 na Suíça na estréia.

Uma coisa que eu reparei é que europeu é doido por montanha. Todo mundo falava algo do tipo: aqui na Áustria tem umas montanhas muito boas. Daí eu pensava: e o kiko? Vou fazer o que numa montanha, seu mané? É, isso é de cultura mesmo…

Agora tenho que aproveitar os dias em Praga, checar se minha carteira de motorista vale na Europa e me preparar pra viajar de novo.

Até mais!

4 Respostas to “… and we’re back!”

  1. Luiz Perdido Says:

    Eu acho, aqui pelo menos, que o gosto por montanhas tem a ver com esportes. Muito estoniano é puto porque a “montanha” mais alta do país fica a 300m acima do nível do mar. Daí se quiserem esquiar ou fazer snowboard, tem que ir pra outro país.
    E snowboard é a sensacão por esses países dessas áreas aqui, todo mundo curte.

  2. EZ! Says:

    Opa.
    Finalmente.
    Hey, tem como aproveitar e ir assistir algum jogo da EUROCOPA?
    Aproveita ai,
    abraxxx

  3. EZ! Says:

    Vendo as fotos das estátuas, vc sabe como deve identificá-las certo?
    Um cavaleiro sobre o cavalo com as duas patas dianteiras erguidas significa que aquele soldado/guerreiro/oficial morreu em combate. Com uma pata erguida significa que ele morreu em detrimento de ferimentos da batalha. Com as quatro patas no chão significa que ele era um idiota local.
    Abraço e vê se posta umas fotos da sua casa em Praga. Ah, e em um dos jogos da EUROCOPA com aquela mão gigante.
    EZ!

  4. Chiieminha Says:

    Hahahahaha tenho que mostrar isso aki (“Isso se traduziu em jornadas de 10 horas de segunda a sábado, com direito a 5 horas no domingo, só pra não perder o costume, pra alcançar um prazo impossível.”) pro meninos que trabalham comigo xD Eles vão totalmente te entender xD

    Ahnnnn…. E eu achava que essa coisa de montanha fosse coisa de suiços só =x

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: