Working week: 27-04-2008

Agora que tenho uma rotina mais ou menos estabelecida, não vou escrever todo o dia. Seria muito chato saber que todo o dia eu acordei, tomei café da manhã, peguei o metrô para o trabalho, trabalhei, almocei, trabalhei, voltei de metrô. Então vou postar só o que aconteceu de mais relevante.

Na quarta depois do trabalho fui com o Vaibhav para Cerny Most, uma estação depois da minha, pois lá há um shopping e eu queria comprar roupas de frio e umas botas. Porém, aquilo de maneira nenhuma pode ser chamado um shopping, pois é tão somente um corredor com algumas lojas e um supermercado. Uma decepção… As lojas eram bem fundas, tinham 3 ‘ambientes’, e o mercado era bem grande. As lojas fecham às 21h nos shoppings aqui, parece que isso não varia muito. Foi bom pra ter uma idéia dos preços, apesar de eu não ter encontrado as roupas que queria (tinha lojas da C&A e H&M basicamente). O mercado é bom e vai ser útil quando eu me cansar do que tem aqui perto de casa. Comi no McDonalds e tive que pagar 5 Kc pelo ketchup, um absurdo total.

Na quinta, novamente com o Vaibhav, fui para o extremo oposto da linha amarela de metrô, no shopping que fica em Zlicin (lê-se zlitchin, e não pode colocar i depois do z pra formar uma sílaba). Ali a coisa foi diferente, era um shopping maiorzinho. Tinha um mercado e algumas lojas de marcas, e no geral tudo era mais caro. Procurei mas só pude encontrar roupas de meia estação, então não comprei nada de novo. Tinha cinema no shopping, embora aqui parece que as pessoas não vão muito em cinemas pra se divertir. Comi uma comida chinesa bem apimentada num restaurante bem simplezinho e tomei o pior milkshare da minha vida no McDonalds. Desencanei de comprar roupas e voltei pra casa. Pelo menos em Zlicin o shopping tinha cara de shopping…

Sexta-feira fui me encontrar com a Jenny no correio para mandar umas coisas para a Estônia. Depois de arranjar uma caixa pra colocar a encomenda, foi bem fácil e barato, considerando que foi um envio internacional. Ela e o Vaibhav começaram a ter aulas de espanhol com a Bárbara, e fui junto pra ver o que podíamos fazer depois. Dei umas risadas durante a aula vendo-os ter dificuldades com uma língua que para nós é bem simples de ‘pegar’. Do mesmo modo que as línguas eslavas são horríveis para nós, as línguas latinas são alienígenas para eles. Depois da aula a Jenny foi embora e saímos para tomar uma cerveja. Dessa vez provei uma cerveja escura, muito boa e barata. Daí a Bárbara deu uma de guia turística e mostrou o centro velho da cidade pra gente. Fomos na praça principal onde tem o relógio astronômico e o castelo da cidade, depois passamos no bairro judeu e seguimos o rio Vltava até a ponte Charles Bridge, que está lá desde 1300 e bolinha. Tudo era muito perto, devemos ter andado umas três estações de metrô e pra mim não andamos quase nada. Era perto das 11h e tudo estava muito cheio de turistas, todos observando a cidade a noite, que fica muito bonita quando iluminada. O bom é que dava pra ouvir todas as línguas, posto que há pessoas de diferentes nacionalidades. Não tirei fotos, mas passarei por lá mais vezes. Pegamos o último metrô para chegar em casa.

Como chegamos tarde na sexta, acordei 13h no sábado. Só deu tempo de comer alguma coisa e acompanhar o Lorenzo e o Vaibhav até o centro, para ir na biblioteca. Até a biblioteca tem algo turístico, é uma pilha de livros formando uma torre, com espelhos em cima e embaixo. Quando você olha por dentro da torre, parece que ela não tem fundo. Há alguma literatura em inglês na biblioteca, e ela fica num prédio construído em torno de 1920, com arquitetura característica. Não fiz minha carteirinha (chegamos tarde, a biblioteca estava fechando) mas isso é uma questão de tempo. Andamos um pouco no centro, e estava de novo lotado de turistas (desde sexta tem feito um solzinho, e isso anima o povo e os turistas a sair). Fiquei treinando pra falar Václavské Námesti (lê-se Vatslavske Namiesti), que em inglês é a Wenceslau Square, onde fica o museu. Comprei um livro de inglês numa livraria muito massa (quatro andares, dois subsolos) e voltamos. Passei no mercado para comprar as coisas para hoje…

Poço da biblioteca municipal

Hoje acordei cedo, preparei a mochila e fui pra Hlavní Nádrazi, estação de metrô de onde saem os trens. Encontrei o Viktor, da Ucrânia, e a Bárbara, e fomos para uma cidade a 33 km de Praga cujo nome completamente esqueci. Lá tinha um castelo e tipo um canion chamado Welka Amerika, com um lago no fundo, um cenário bem paradisíaco. Tirei bastantes fotos e apreciei um típico vilarejo antigo, desses que a gente vê em filme, e posso dizer que é muito interessante. Chegou um pessoal do LC de Pilzen, e encontramos com gente do México, Alemanha, Polônia, Áustria e Brasil (a Aline). Andamos morro acima e achamos o lugar. Almoçamos e fomos ‘sightseeing’, aproveitando a paisagem (fez calor hoje também). Depois de uma cerveja, corremos para pegar o trem de volta e assei umas batatas pro jantar, enquanto lavo a roupa (está na máquina ainda). Amanhã recomeça a rotina. Até mais!

Canion principal

2 Respostas to “Working week: 27-04-2008”

  1. EZ! Says:

    Cerveeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeja

  2. Antonielly Says:

    Boa sorte aí nessa sua nova fase, fera! Mande notícias depois. Um abraço!🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: