A empresa: 18-04-2008

Ontem eu capotei bem cedo na cama, lá pelas 20h, e acordei hoje às 7h30. Foi bom que deu pra descansar, estava com cansaço acumulado desde a viagem. Acordei, tomei banho e fui pra estação Florenc. Aqui todas as torneiras tem água quente e fria. Para abrir, você levanta a alavanca que tem em cima dela. Pra sair água quente, tem que girar pra esquerda; pra água fria, girar pra direita; no meio a água sai com temperatura ambiente, o que geralmente é frio (então girando pra direita a água fica gelada =). Muito bom isso, gostei. No apartamento tem uma banheira e uma ducha, que fica pendurada num suporte na parede pra imitar um chuveiro. A água sai bem quente, e essa era umas das preocupações que eu tinha, porque eu gosto muito de água quente.

No caminho para a estação de metrô, tem que atravessar umas ruas. Quando tem semáforo, você tem que esperar o sinal verde para pedestres, caso contrário pode ser multado. Quando não tem semáforo, você fica na faixa e OS CARROS PÁRAM PRA VOCÊ ATRAVESSAR!. Achei meio inacreditável no início, mas essa é a lei de trânsito daqui. Gostei, gostei bastante disso.

A empresa (descobri que se chama First P.F, e não One P.F como eu pensava) onde vou trabalhar fica perto de uma estação que esqueci o nome, mas fica na linha vermelha. Encontrei a Katie na estação Florenc e fomos para lá. A Katie é bastante gente fina, o que me fez pensar que ela era meio brava na verdade parece um hábito aqui: as pessoas não se despedem quando vão embora, ou se despedem muito secamente e saem andando. E também não costumam agradecer muito, pelo menos essa é a impressão. Weird people…

Meu chefe é um cara com no máximo 30 anos, embora ele tenha mencionado que fundou a empresa há 6 ou 7 anos. Ele e o irmão lideram a empresa, e suponho que deva ter em torno de 7 funcionários, uma empresa bem pequena. Parece que estiveram na Inglaterra por um tempo, e dá pra entender muito bem o inglês deles, um ótimo sinal. Me mostraram a empresa (acabaram de mudar pro atual escritório) mas não entraram em detalhes sobre qual será minha atividade inicial. Começo às 9h do dia 21, segunda-feira, e vou usar roupas comuns, nada de camisa e gravata. Dei de presente uma garrafa de cachaça envelhecida São Francisco. Nunca a provei mas parecia boa.

Voltei com a Katie para a universidade e fiquei usando a internet um pouco, tinha muitos emails para ler. Fui almoçar com o pessoal no restaurante da universidade. De novo, serviram pouca comida, então comi tudo e fiquei com um pouco de fome. Mas é barato, acho que 30 CZK quando alguém paga pra mim (dessa vez foi o Martin, ele disse que depois eu pago uma cerveja pra ele e está tudo certo =). Falei um pouco com o Martin, parece gente fina e perguntou bastante coisa, principalmente o que eu estava achando dos tchecos. Descobri que esta universidade é a maior do país, e aceita normalmente uns 4 mil estudantes por ano. Eles têm no máximo 20 horas de aulas por semana, pra poderem ter outras atividades, como empregos de meio período. Assustei o pessoal quando contei que não é raro termos 36 ou 40 horas de aula por semana nas universidades brasileiras. Ah, e aqui geralmente se falam duas línguas: tcheco e eslovaco, e quem fala uma entende a outra sem maiores problemas.

Depois de usar a internet voltei pra casa (falei tchau pra todo mundo) e comi mais um pouco. No domingo vai ter uma visita a uma fábrica de cerveja (parece que vai poder experimentar for free =). Depois tem almoço e o pessoal vai andar de patins. Disseram que no inverno nem tanto, mas no verão todo mundo anda de patins por aí.

Peguei o notebook e fiquei procurando pela casa algum lugar que tivesse sinal forte o suficiente para acessar a internet. Há várias redes sem fio por aqui, mas o sinal é muito fraco. Depois de andar um tempo, descobri um ponto na sacada que consegue se conectar com 20% do sinal numa rede. Fica bem lento, beeeem lento, mas melhor do que nada. O pior é ter que ficar na sacada, pois do lado de fora sempre está frio. Vai servir para emergências até eu conseguir uma conexão decente. Fiquei usando uns 20 minutos… o pessoal que estava no ponto de ônibus deve ter pensado que sou maluco, mas quem se importa…

Falei com a Bárbara do MC Czech Rep e ela me chamou para ir numa festa com outras pessoas da AIESEC. A Bárbara é brasileira e tem mais um mês e meio aqui em Praga, antes de terminar a gestão dela na diretoria do MC. Foi bom encontrá-la e poder falar um pouco de português, pois às vezes fico confuso falando só em inglês. Íamos todos nos encontrar num bar e depois íamos para a tal festa. No bar eu provei da cerveja tcheca, marca Gambrino, que parece ser uma bem popular aqui. A cerveja em si é boa e barata (mais barata do que água), eu é que não gosto de cerveja. Também comi um queijo frito com presunto e uma saladinha com um molho meio azedo à base de maionese, este foi meu jantar. Fiquei conversando com um ex-aiesecer que agora trabalha num banco de investimentos aqui em Praga. Resolvi não esperar a festa (acho que o pessoal ficou no bar e esqueceu que queria fazer festa) e voltei pra casa pra dormir um pouco.

Não tenho nenhum plano para amanhã. Vamos ver o que acontece. Até mais!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: